Home page
Fevereiro 07
Afinal, somos todos atores no palco da Vida!

No dia 8 de janeiro, o ator P.W., e a relações públicas C.V., da Companhia de Teatro Joaquim Benite vieram à EPED para conversar com os/as alunos/as da turma P56&P57, sobre os desafios e as vicissitudes da profissão de ator e do mundo do Teatro.

A iniciativa decorreu num ambiente pautado pela boa disposição dos seus intervenientes mas também pela chuva de perguntas que os/as alunos/as colocaram aos convidados. Neste sentido, destacamos as seguintes questões “Quando aderiu ao teatro?”; “Que tipo de papéis já representou?”; “Que tipo de diferenças encontra entre o teatro e o dia a dia?”; “Quantas peças já fez?”; “Como consegue conciliar a sua vida pessoal com o teatro?”; “Como é a relação com os colegas durante o período de trabalho?”; “O que sente quando está em palco?”.

As questões colocadas obtiveram respostas dadas de quem tem já uma vasta experiência de palcos mas também de quem acredita e ama a sua profissão. P.W. referiu que cada um transporta consigo as máscaras que se relacionam com os vários papéis que é chamado a representar perante os outros e perante as mais diversas situações. Segundo o ator, foi justamente a profissão de ator que lhe tem permitido encontrar respostas para algumas das suas inquietações.

No final, o grupo entregou uma máscara a cada um/a dos/as participantes e a professora de Área de Integração aproveitou para relembrar uma das expressões de Catarina de Médicis: “A vida é um baile de máscaras. Nunca tire a sua!”.


Diapositivo1[1].JPG


Fevereiro 07
A turma P56&P57 visita o Quartel dos Bombeiros de Cacilhas

No passado mês de dezembro, a turma P56&P57 visitou o Quartel de Cacilhas com a finalidade de conhecer os diferentes papéis sociais dos bombeiros mas também de explorar os desafios que enfrentam no seu dia-a-dia.

O grupo visitou os diferentes espaços do Quartel com destaque para o parque automóvel com a visualização das diferentes viaturas acompanhada de uma explicação acerca das suas funções.
 
Durante a visita houve, ainda, oportunidade para uma conversa com o adjunto de Comando M.V., que esclareceu os/as alunos/as sobre a história da Cooperação e o serviço público que presta aos/às cidadãos/ãs desde a sua fundação.
 
No decorrer da visita de estudo foi passado um vídeo realizado pelos/as alunos/as com mensagens de agradecimento a todo o trabalho desenvolvido pelos Soldados da Paz.
 
A visita de estudo ao Quartel não terminou, sem antes os/as alunos/as e professoras assistirem, no anfiteatro, a uma demonstração sobre o suporte básico de vida, nomeadamente em situações de paragem cardiorrespiratória, o que se deve fazer e como utilizar, por exemplo, uma DAE (desfibrilhação automática externa). Foram apontadas as regras de segurança, alertando para a questão da respiração boca a boca, já que, é algo que não se deve praticar, sob pena de transmissão de doenças contagiosas.
 
Entre esclarecimentos de dúvidas, curiosidades, partilha de histórias e agradecimentos, deu-se por terminada a visita de estudo.

Diapositivo1.JPG




Fevereiro 04
"Elementos Químicos" da EPED

Este ano, assinala-se o 150º aniversário da Tabela Periódica. No arranque das comemorações, a EPED associou-se à iniciativa da Faculdade de Ciências e Tecnologia, da Universidade Nova de Lisboa (FCT, UNL), juntamente com outras escolas do concelho, para formação de uma Tabela Periódica Humana. Em Almada, o local escolhido para este evento nacional foi o Parque Urbano Júlio Ferraz, situado, no coração da cidade e muito próximo de vários estabelecimentos de ensino.

Cada aluno envolvido na atividade recebeu uma t-shirt oferecida pela Sociedade Portuguesa de Química (SPQ), que envergou, e um cartão correspondente a um elemento químico. Numa segunda fase, e sob orientação dos elementos organizadores da FCT, num “processo químico de self-assembling”, os alunos encontraram o local correto da posição do seu elemento na Tabela Periódica e, todos juntos, deram-lhe vida.


 

20190129_094106_resized.jpg


20190129_101656_resized_1.jpg

20190129_094757_resized.jpg

20190129_095014_resized.jpg



 

Janeiro 15
Porque, HOJE o mundo não…

​... se cinge apenas à nossa rua ou ao nosso bairro, a participação em projetos educativos de cariz internacional é uma oportunidade que não deves perder!

Se se cumpriste com todas as etapas do projeto Parlamento dos Jovens (edição 2019); tens entre 16 e 18 anos de idade e estás inscrito até ao 11ºano, não percas a possibilidade de candidatura ao concurso Euroescolas, cujo tema deste ano gira em torno das eleições europeias.

A nossa escola está na rota destas iniciativas porque acredita que os/as alunos/as, reúnem condições favoráveis a uma boa participação mas também porque é uma outra forma de adquirir e aprofundar competências pessoais, socias e técnicas essenciais à sua evolução enquanto aluno/a do ensino profissional.

Participa, acredita em Ti porque nós já acreditamos!


Fotografia Página da Escola.jpg 
 
 

Janeiro 04
A turma P63 parte à descoberta de Lisboa

Na tarde fria mas solarenga de 30 de novembro último, a turma P63 deslocou-se a Lisboa no velho cacilheiro para visitar o núcleo arqueológico da rua dos Correeiros. A visita foi guiada por uma colaboradora da Fundação Millennium BCP que ao longo de aproximadamente 90 minutos faz uma viagem histórica desde as primeiras ocupações humanas na cidade de Lisboa, destacando a presença dos romanos que com a sua indústria de conserva de peixe bem como com a construção de estruturas anexas à área industrial fizeram da Olisipo um dos locais mais atrativos da Península Ibérica. Os participantes tiveram oportunidade de visitar a necrópole romana-republicana – o esqueleto humano despertou a atenção de todos/as. A ocupação islâmica também deixou as suas marcas, o forno cerâmico construído em tijolos que fabricaria essencialmente loiça de cozinha e mesa. A visita terminou com a comparação entre dois períodos absolutamente essenciais para a história da cidade e do País: a Lisboa Pré-Pombalina e o Terramoto de 1755.

A visita de estudo nas ruínas decorreu de uma forma tranquila, tendo todos/as os/as participantes respeitadas as regras de segurança, revelando, ainda, interesse e curiosidade pela nossa história. Contribuiu para o sucesso da ação, a simpatia e o discurso fluido da Guia, adequado à faixa etária dos/as alunos/as; justamente, este facto foi registado por estes/as que no final se despediram com cordialidade reconhecendo o trabalho da Funcionária.
         
O grupo seguiu, depois, em direção à Rua Augusta onde teve início a segunda fase de trabalhos da Iniciativa, a saber, a realização de um pedypaper e fotopaper assim como um conjunto de entrevistas de rua. Todos/as os/as alunos/as participaram de uma forma entusiasta nestas tarefas o que permitiu sentir de uma forma diferente a energia da nossa capital bem como das pessoas que hoje, volvidos muitos séculos da sua fundação, contribuem para as páginas da sua história.

 

Núcleo Arqueológico de Lisboa.png



Janeiro 04
A turma P55 apresenta a sua Fada Oriana…
 

… a grupo de crianças de 1º ciclo da Escola Feliciano Oleiro. Ao longo de quase 90 minutos, os/as alunos/as do 2º ano do curso profissional de Animador Sociocultural deram vida às personagens da história de Sophia de Mello Breyner, atualizando-a aos nossos dias, procurando transmitir a importância de valores como a lealdade, a justiça, a solidariedade e a amizade na construção de relações interpessoais mais humanas e fraternas.

 

Na execução da dramatização da Fada Oriana, a turma P55 teve a colaboração dos/as seus/suas colegas de curso do 1ºano que os auxiliaram com os cenários assim como da Coordenadora de curso de ambas as turmas que coadjuvou as narradoras na leitura e interação com o público mais jovem.

 

O presente trabalho foi realizado no âmbito dos módulos de Área de Integração e Psicologia tendo consistido, na opinião dos/as alunos/as, num desafio superado por todos/as os/as envolvidos/as nas diferentes etapas que um processo desta natureza implica:  criação, construção e implementação de ideias assim como a gestão e rentabilidade de recursos materiais e humanos.
 
 Oriana.JPG

 

 

Novembro 29
​Projeto GaME – Ganha a Melhor Escola!

Competição Nacional sobre "Eficiência Energética: a Melhor Escola é a Nossa"

Durante o ano letivo 2017/2018 decorreu em vários Municípios, e também em Almada, a "Competição Inter-escolas GaME, Ganha a Melhor Escola", dirigida a escolas do ensino secundário e profissional e que teve como grande objetivo envolver os/as alunos/as na gestão de energia da sua escola.

Ao longo do projeto foi criada uma plataforma online através da qual os participantes fizeram uma auditoria energética à sua escola, criando um plano de ação e implementando várias medidas para tornar mais eficiente o uso da energia no espaço-escola.

Com o apoio da AGENEAL, Agencia Municipal da Energia de Almada, participaram no GaME seis estabelecimentos de ensino de Almada, tendo a EPED - Escola Profissional de Educação para o Desenvolvimento ficado entre os 10 premiados, a nível Nacional, pelo bom desempenho demonstrado nesta competição.

O projeto foi promovido pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos e teve como parceiro local a AGENEAL, que coordenou a concretização do GaME em Almada e a articulação com a Divisão de Educação e Sensibilização Ambiental do Município e as escolas participantes.

Parabéns à comunidade EPED pelo desempenho!


www.facebook.com/game20172018  


Projeto GaME.png

 
 
 

Novembro 27
Uma equipa com fair-play

Quando a visita de estudo ao Estádio da Luz foi anunciada, os/as alunos/as ficaram perplexos com a professora de Área de Integração e as reações foram muitas e em torno das mesmas questões: “Porquê o estádio do Benfica e não o do Sporting?”; “Qual a relação da disciplina com a visita a um campo de futebol?”; “O que é que vamos lá fazer?!?!”.

A resposta a todas as perguntas e indignações  obtiveram resposta, justamente, no dia 9 de novembro quando as turmas P52; P53; P56 e P57, acompanhadas pela colaboradora Eugénia Dantas e pelos/as professores/as Anabela Domingues; Bárbara Vale-Frias; Frederico Crispim; Ivone Coelho e Sandra Inácio se deslocaram ao estádio da Luz para uma visita guiada ao mesmo assim como a realização de um pedypaper no museu Cosme Damião.

Os/as 56 alunos/as, divididos/as em dois grupos, tiveram oportunidade de entrar em contacto com as instalações do estádio visitando o relvado bem como as diferentes salas que viabilizam os serviços em dias de jogos, como os balneários e a sala de conferência de imprensa. Contudo, observar um dos símbolos do clube, as águias, consistiu num dos momentos mais empolgantes da visita de estudo. Por sua vez, o museu Cosme Damião permitiu que os/as participantes seguissem a linha da história e da cultura portuguesa e mundial a par e passo com os feitos desportivos do Clube, destacando-se uma das suas maiores glórias que, em tempos de nevoeiro, assumiu-se como um símbolo de esperança de toda uma nação, Eusébio da Silva Ferreira.

Globalmente, a visita de estudo decorreu com muito fair play, pois, embora vários/as alunos/as e professores/as não sejam adeptos/as do Sport Lisboa e Benfica, compreenderam que se tratava de uma iniciativa com objetivos pedagógicos, concretamente, encarar os clubes de futebol como agentes de socialização na transmissão de valores, normas e comportamentos socialmente aceites numa era global em que também as equipas de futebol são constituídas por membros de nacionalidades diferentes com desafios culturais diversificados, nomeadamente, a importância de assimilar a cultura de quem nos recebe sem perder, todavia, a nossa cultura mãe.

É caso para se dizer, voámos todos/as nas asas do pensamento, com o coração da cor da nossa espécie num mundo cuja complexidade é uma evidência e onde todos/as pretendemos encontrar o nosso lugar.​ 


Notícia Anabela.jpg



Diapositivo1 (2).JPG 
 



 


Novembro 21
Reviver o Passado no Príncipe Real

No passado dia 14 de novembro, a turma P63 deslocou-se a Lisboa para visitar o Laboratório Químico da antiga Escola Politécnica.

Os alunos puderam ver como eram as aulas de Química no séc. XIX e como professor e alunos se relacionavam.

Visitaram, ainda, o anfiteatro onde decorriam as aulas teóricas da 6ª cadeira, bem como a sala de exposição José Júlio Bettencourt Rodrigues.

 

«O que mais me impressionou no ensino no século XIX foi o facto de serem apenas os rapazes a terem o privilégio de estudar e as raparigas ficarem em casa. Em relação ao museu, (…) vi máquinas/instrumentos que nunca tinha visto antes num laboratório químico como, por exemplo, uma máquina de fazer gelo.» MP

 

«O que achei mais interessante foi o facto de não existir contacto entre professor e alunos e não partilharem o mesmo espaço, o que dificultava bastante o esclarecimento de dúvidas por parte dos alunos.» AS

 

«Achei bastante interessante a arquitetura do anfiteatro porque, mal entrei, descobri bastantes parecenças com a nossa Assembleia da República. (…) Esta visita de estudo serviu para adquirir conhecimentos sobre as diversas maneiras de organização dos laboratórios.» MJ

 

«Gostei bastante da guia que nos acompanhou, achei-a simpática e soube explicar-nos tudo de uma forma muito cativante. Para mim é muito importante fazer uma visita guiada num museu. (…) Esta visita de estudo foi muito importante para o meu futuro enquanto analista de laboratório porque observei como eram os laboratórios antigos, vi também muitos materiais de laboratório que ainda não conhecia e especialmente porque conheci pessoas que foram muito importantes no mundo da química.» MO

 

«Esta visita de estudo foi uma ótima escolha para uma visita escolar.» RO​


 

20181114_100757.jpg

20181114_104715.jpg

20181114_121426.jpg



Novembro 21
A EPED Voltou a Treeeeemeeeeeeer!

No âmbito do projeto de Educação para a Saúde, as turmas P49, P54, P57, P61 e P63 participaram no exercício público de preparação para o risco sísmico, promovidos pela Autoridade Nacional de Proteção Civil.

 

Este ano, a iniciativa ocorreu no dia 5 de novembro, pelas 11h05 da manhã. Durante 30 segundos, os alunos realizaram um exercício composto por 3 gestos básicos de proteção em caso de sismo – baixar, proteger e aguardar -, com o objetivo de alertar para comportamentos simples de segurança que podem salvar vidas, bem como identificar possíveis fatores de risco, tais como objetos mal posicionados, que atrapalham a eficiência dos referidos gestos de proteção.


 

Seguidamente, todas as turmas se dirigiram para os pontos de encontro, localizados junto ao campo de jogos e à entrada da escola.


 

2018.11.jpg


​ 

2018.111.jpg


1 - 10Seguinte